INTRODUÇÃO

Pedrinhas e Cedovém são dois Lugares à beira mar, situados entre Ofir e a Apúlia, no concelho de Esposende - PORTUGAL.

Localizam-se num lugar calmo em cima do areal, onde pode almoçar e jantar com uma gastronomia típica local e poder usufruir de uma paisagem natural marítima Atlântica a uma temperatura do Litoral do Sul da Europa .
Onde construções CELTAS desabrocham de fundações milenares, que resulta uma relação de interligação com a paisagem. Os caminhos e os percursos de acesso ainda se encontram em areia e criam uma composição que conjuga de forma perfeita entre a topografia e época das construções, o que dá um cunho único ao Lugar. Se estivermos acompanhados com alguém especial, imediatamente nos apaixonamos e nunca mais conseguimos cortar o "cordão umbilical" com este LUGAR cheio de magia e de uma beleza natural única.

domingo, 5 de janeiro de 2014

Mau tempo faz «Delete» às praias de Pedrinhas e Cedovém

Durante este fim de semana, o mau tempo e a agitação marítima, resultou um nível de erosão enorme. A rampa de acesso ao mar feita pelos barcos dos pescadores de Cedovém, virou ponte. A evaporação da areia feita pelo mar foi tão grande à rampa, que foi construída dentro do parque Litoral de Esposende em betão, ficou com um aspeto de uma pequena ponte, pois pode-se passar por debaixo e por cima, onde os pescadores diáriamente passavam para ir ao mar.

No lugar das Pedrinhas a reunião de três compósitos (mau tempo+agitação do mar+esporão=) resultou uma erosão que a rampa de acesso ao mar feita pelos pescadores desapareceu na sua totalidade, aumentando consideravelmente o desnível de cota e a possibilidade de poderem trabalhar.



A falta de manutenção do quebramar, a falta de intervenção real de proteger os cidadãos, os pescadores, os bens materiais,  imateriais, e o Património destes dois lugares (Pedrinhas e Cedovém),  têm sido constantemente ignorados e até feridos, com golpes mortais pelas entidades oficiais, que têm é o dever de proteger e evitar amarguras que amanhã, não poderão dizer que não sabiam nem foram avisadas.






Enviar um comentário