INTRODUÇÃO

Pedrinhas e Cedovém são dois Lugares à beira mar, situados entre Ofir e a Apúlia, no concelho de Esposende - PORTUGAL.

Localizam-se num lugar calmo em cima do areal, onde pode almoçar e jantar com uma gastronomia típica local e poder usufruir de uma paisagem natural marítima Atlântica a uma temperatura do Litoral do Sul da Europa .
Onde construções CELTAS desabrocham de fundações milenares, que resulta uma relação de interligação com a paisagem. Os caminhos e os percursos de acesso ainda se encontram em areia e criam uma composição que conjuga de forma perfeita entre a topografia e época das construções, o que dá um cunho único ao Lugar. Se estivermos acompanhados com alguém especial, imediatamente nos apaixonamos e nunca mais conseguimos cortar o "cordão umbilical" com este LUGAR cheio de magia e de uma beleza natural única.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Deputados do PSD defendem intervenção urgente em Esposende







Os deputados do PSD eleitos por Braga estiveram de visita, ontem, às torres de Ofir, em Esposende, onde se inteiraram sobre os graves problemas de erosão costeira que assolam aquela área e toda a zona Sul do concelho, em consequência da forte agitação marítima que se tem feito sentir neste Inverno. Os deputados dizem que uma intervenção no litoral esposendense “deve ser uma prioridade política”, garantindo que é essa a exigência que vão fazer junto do governo.

Os deputados Nuno Reis, Isidro Araújo e Jorge Paulo Oliveira prometeram levar hoje mesmo esta questão à reunião que está agendada para esta tarde com o ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva. Benjamim Pereira, o presidente do município de Esposende, pede ao governo um Plano de Intervenção Urgente.

É muito preocupante o que está a acontecer aqui em Esposende e o avanço que o mar está a ter”, sublinhou o deputado Nuno Reis, que ontem foi o porta-voz do grupo de parlamentares, garantindo que estas mesmas preocupações vão ser levadas à reunião agendada com o ministro do Ambiente para esta tarde.

Nuno Reis recordou o facto que este ano estar previsto um fundo para este género de intervenções, ao abrigo do Plano de Apoio e Valorização do Litoral, e que, nessa lógica, uma parte desse fundo deva ser canalizado para intervir no Litoral de Esposende. “O que estamos aqui a assistir exige uma intervenção profunda, por isso, esperamos que haja possibilidade de parte desses recursos virem a ser aplicados na costa de Esposende”, e neste caso, implicando também a construção de um muro de contenção junto às torres ou outro tipo de suporte que impeça o avanço do mar.

Ao ministro, os deputados dizem que vão perguntar diretamente se haverá mesmo este fundo e quando é que ele será disponibilizado. Refira-se que já foi anunciado que esse fundo deverá ter um orçamento na ordem dos 300 milhões de euros e, por isso mesmo, os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Braga querem perceber qual será a parte dessa verba que será disponibilizada para uma intervenção na costa esposendense.

No entanto, e até ao momento, ainda não existe qualquer estudo oficial sobre as possibilidades de engenharia que poderão ser levadas a cabo, nem qual o nível de investimento que implicará uma intervenção de fundo no Litoral de Esposende, mas esta é uma situação que está a ser acompanhada pela ARH-Norte e pela Agência Portuguesa do Ambiente.

O presidente da Câmara Municipal de Esposende acompanhou a comitiva de deputados do PSD, juntamente com Rui Pereira, vereador do Desporto e do Turismo, Maranhão Peixoto, vice-presidente da autarquia e vereador da Proteção Civil e Agostinho Silva, presidente da Assembleia Municipal.

O autarca indicou que também ontem, o diretor da ARH-Norte, Pimenta Machado, e o professor Veloso Gomes, especialista na área, estiveram no local a estudar o assunto, no sentido de ajudarem a encontrar uma solução.

Qualquer tipo de intervenção a realizar terá que passar sempre pela defesa do edificado e das populações que estão próximas do mar e que já se encontram em risco permanente no sentido de evitar que o mar continue a avançar desta forma tão erosiva”, referiu Benjamim Pereira.
O autarca confessou-se esperançado na sensibilidade do governo de Passos Coelho e diz ter expectativas de que “venha, de alguma forma, a alocar verbas para uma intervenção no Litoral de Esposende, nomeadamente nas zonas mais afetadas - junto às torres de Ofir e a zona Sul - em concreto em Apúlia, Cedovém e na Praia da Couve”.

O responsável adverte, ainda, para os problemas económicos que a erosão do mar também tem causado no concelho. “Todas estas zonas junto às praias, com vários estabelecimentos de restauração têm sido muito prejudicadas e até os pescadores estão impedidos de ir ao mar ganhar a vida”.
Enviar um comentário