INTRODUÇÃO

Pedrinhas e Cedovém são dois Lugares à beira mar, situados entre Ofir e a Apúlia, no concelho de Esposende - PORTUGAL.

Localizam-se num lugar calmo em cima do areal, onde pode almoçar e jantar com uma gastronomia típica local e poder usufruir de uma paisagem natural marítima Atlântica a uma temperatura do Litoral do Sul da Europa .
Onde construções CELTAS desabrocham de fundações milenares, que resulta uma relação de interligação com a paisagem. Os caminhos e os percursos de acesso ainda se encontram em areia e criam uma composição que conjuga de forma perfeita entre a topografia e época das construções, o que dá um cunho único ao Lugar. Se estivermos acompanhados com alguém especial, imediatamente nos apaixonamos e nunca mais conseguimos cortar o "cordão umbilical" com este LUGAR cheio de magia e de uma beleza natural única.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

29 de setembro - Sessão pública de esclarecimento da Revisão do PDM - Dia de São Miguel Arcanjo, 1º Padroeiro de Portugal


Hoje às 21h, no Auditório Municipal de Esposende, vai ser realizado uma sessão pública de esclarecimento sobre a revisão do PDM. Esta revisão não pode deixar morrer, nem ficar indiferente ao Lugar das Pedrinhas. São lugares como este que nos contam a nossa historia. São a testemunha viva dos nossos antepassados (... trisavós, bisavós, avós). As construções antigas existentes, o espaço que elas envolvem, o ar que é criado naquele lugar de caminhos de areia que nos acolhe e nos leva a um espaço temporal longínquo e único no mundo. Este espaço aberto não tem uma história isolada no mundo, ele tem uma relação forte com vários pontos da Europa, de forma fascinante a que ninguém fica indiferente.(ver Wikipedia)


 Podemos não conhecer a nossa história, ela está adormecida, mas se não a apagarmos podemos invoca-la, como hoje vamos invocar São Miguel de Arcanjo, para que proteja o Lugar das Pedrinhas & Cedovém.



«Sabe-se que os Christãos dos primeiros tempos olhavam aquelle santo como um dos génios tutelares da medicina, e é pois natural que a designação de S. Miguel succedesse à de Endovellico.
José Leite de Vasconcelos  los  Religiões da Lusitânia vol. II .

«Reza a lenda que D. Afonso Henriques, antes de defrontar os infiéis em terras escalabitanas, durante o ano de 1147, terá invocado a divina proteção e auxílio de S. Miguel Arcanjo que, respondendo às preces do monarca português, fez descer dos céus o seu punho alado, derrotando as forças sarracenas. Segundo a tradição, D. Afonso Henriques, como forma de agradecimento pela intercessão divina do Celestial Condestável, consagrou-lhe o seu jovem reino, confiando-lhe a sua proteção.


A devoção do primeiro rei de Portugal pelo Arcanjo S. Miguel ser-lhe-ia tal que o teria levado à criação da lendária Ordem Equestre e Militar de São Miguel da Ala, também conhecida por Ordem de São Miguel da Ala, Real Ordem de São Miguel da Ala, ou Ordem da Ala, mais tarde reativada ou recriada pelos partidários do rei D. Miguel. Polémicas aparte, é hoje tomado como certo que o Arcanjo S. Miguel terá sido o primeiro padroeiro de Portugal, até que durante o reinado de D. João I, por influência do seu casamento com D. Filipa de Lencastre, se adotou S. Jorge como orago nacional. Só após a Restauração de 1640, a Dinastia de Bragança decidiu coroar a Nossa Senhora da Conceição como rainha e patrona de Portugal, afastando-se desta forma a hipótese de regressarmos ao patronato do nosso primordial protetor. 
Celebrado liturgicamente a 29 de Setembro, S. Miguel Arcanjo é venerado pelas três religiões do livro, judaísmo, cristianismo e islamismo, estando o seu culto largamente disseminado na Europa, onde encontramos o seu caminho geográfico-esotérico que liga em linha recta o santuário do Mont Saint-Michel (Norte de França), à Sacra di San Michele (Norte de Itália) e às grutas de S. Michele de Gargano (Sul de Itália). Contudo, é em Portugal que o culto a S. Miguel Arcanjo nos surge aparentemente mais enraizado, fruto de uma ligação ancestral de origem pré-cristã
.

Ora, conforme é sobejamente sabido e discutido, Portugal é um dos locais na Europa onde a religiosidade é transcendentalmente vivida de uma forma bastante heterodoxa e espiritual, encerrando em si os mistérios esquecidos de um imaginário divino, albergado num inconsciente colectivo herdado numa época ou tempo histórico pré-fundação. Assim, é com alguma naturalidade que assistimos a uma harmônica simbiose entre o paganismo e o cristianismo que aqui soube adaptar-se ao cultos ancestrais das nossas gentes. Esta é no fundo a perspectiva defendida nos estudos seminais de José Leite de Vasconcelos em obras como Religiões da Lusitânia, onde o autor avançava com a possibilidade de Endovélico, principal divindade do panteão lusitano, ter adotado a forma de S. Miguel, face à impossibilidade deste poder ser reconvertido no Deus cristão. 
Baseado nesta interpretação, poderemos encontrar um estreito diálogo político-cultural de carácter trans-religioso entre o pré-Portugal e Portugal, permitindo-nos conhecer um pouco melhor as nossas raízes e matrizes filosófico-culturais e histórico-espirituais. É por isso importante sabermos distinguir, interpretar e preservar os símbolos da nossa cultura, pois estes formam no seu conjunto a linguagem das nossas verdades superiores.»

Publicado por Nova Casa Portuguesa


No percurso náutico entre o Santuário do Mont Saint-Michel (Norte de França), e a terminar nas Grutas de S. Michele de Gargano (Sul de Itália), existem os lugares Pedrinhas e Cedovém, situados na Apúlia no concelho de Esposende, em Portugal, no sudeste da Europa. Aqui existiram estaleiros e cemitérios de embarcações de guerreiros vikings (bases das casas ovais), onde os vencedores veneravam São Miguel Arcanjo, tanto que ficou o padroeiro desta terra e até hoje encontra-se retratado num nicho por cima da porta principal da Igreja Matriz da Apúlia, concelho de Esposende.

A situação curiosa é a relação dos lugares onde São Miguel é mais venerado. resulta uma construção geométrica de um triângulo escaleno, Mont Saint-Michel (Norte, de França, S. Michele de Gargano e S. Tiago de Compostela. Separando +/- 150 Km/s um dos lados (lado que une Compostela e Gargano), temos uma  relação de semelhança de proximidade entre as duas Apúlias:

1 - Santuário do Mont Saint-Michel (Norte de França)

2 - DISTANCIA EM LINHA RETA, ENTRE: S. Michele de Gargano e Apúlia (Sul de Itália) = + / -150 Km / s
2 - DISTANCIA EM LINHA RETA, ENTRE: S. Tiago de Compostela e Apúlia (Norte de Portugal) = + / -150 Km / s



Se calcularmos as medianas do triângulo (com um dos lados distanciados 150 Km/s e entre as duas localidades de veneração de São Miguel Arcanjo encontramos uma terceira localidade) achamos o baricentro em Saint Michel d'Aiguilhe.
ARQ.ACM

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Neste PDM a prioridade é a rapidez e não a qualidade e a transparência do documento


PDM ignora Pedrinhas & Cedovém e Pacha  



O antigo Presidente da câmara Municipal de Esposende,  João Cepa afirma no seu Blogue

«...
Levanta-se desde logo uma dúvida sobre a metodologia que irá ser adoptada pela Câmara Municipal. A publicação do documento em Diário da República levará, no mínimo, uma semana a efectivar-se. Isto quer dizer que só estará disponível para consulta e análise por parte da população, a correr bem, a 2 ou 3 dias da data de realização da sessão pública de esclarecimento. Pois este período de tempo é manifestamente insuficiente para se fazer uma análise séria e rigorosa do documento e para que a população possa colocar todas as dúvidas sobre esta matéria.

Um outro dado negativo é o facto de se confirmar que a Câmara Municipal optou por fixar o prazo mínimo previsto na lei para o período de discussão pública (30 dias), não seguindo o exemplo de outros municípios, como Braga, que fixaram um prazo de 120 dias. Por outro lado, também teria sido interessante e seria importante que a Câmara Municipal, tal como fez a de Braga, promovesse sessões de esclarecimento em todas as freguesias, até porque há características muito próprias de cada uma delas que deveriam ser abordadas e discutidas.

Mesmo que assim não seja, ficará sempre a sensação de que a prioridade é a rapidez e não a qualidade e a transparência do documento.»

domingo, 21 de setembro de 2014

PDM - ESPOSENDE - ZONA DE PEDRINHAS E CEDOVÉM

PDM - CARTA DE ORDENAMENTO

PDM -
USOS DOMINANTES DO SOLO SÓ COM:
- Área Urbana em espaços naturais
- Dunas e áreas de protecção
- Espaço Urbano

PDM - CARTA DE CONDICIONANTES

PO do Parque Natural Litoral Norte - PLANTA DE CONDICIONANTES

PO do Parque Natural Litoral Norte - PLANTA SÍNTESE


 Plano Municipal de Ordenamento Territorial - Infra-Estruturas Lineares

PDM - PLANTAS, PROCESSOS E REDE DE EQUIPAMENTO

As actuais plantas não dispensam consulta no site oficial www.cm-esposende.pt

Município de Esposende ultima revisão do PDM doze anos após início do processo - Sessão Pública dia 29


«ESPOSENDE – “Um dia histórico e da maior importância para o Município” foi como o Presidente da Câmara Municipal de Esposende classificou a decisão de abertura do procedimento de discussão pública do Plano Diretor Municipal (PDM), hoje aprovada em reunião do executivo municipal.
Este procedimento marca o fim de um longo e difícil processo de discussão e negociação com as várias entidades com jurisdição no plano territorial. Benjamim Pereira salienta o grande esforço que foi desenvolvido, particularmente nos últimos dez meses, para finalizar um processo que se iniciou há cerca de doze anos.
Com efeito, não obstante as áreas de REN (Reserva Ecológica Nacional) e RAN (Reserva Agrícola Nacional) que constam do documentos serem as consideradas até 2006, houve um conjunto variado de outras questões que foi necessário ultrapassar e que implicaram um forte empenho e trabalho por parte do Município, assim como das demais entidades envolvidas no processo.


A abertura do procedimento de discussão pública do PDM é um passo de grande importância, que vai possibilitar desbloquear uma série de processos que estavam pendentes e atender às pretensões de muitos munícipes”, refere o Autarca Benjamim Pereira, acrescentado que “é o princípio do fim de um problema que se arrastava há doze anos”.
Acentuando que “a elaboração de um documento desta natureza é sempre um processo moroso e muito complexo”, Benjamim Pereira realça o “determinado e constante empenhamento do Município para concluir a revisão do PDM, por forma a ter disponível este instrumento de planeamento territorial e de gestão urbanística”.
Após a publicação em Diário da República da abertura do procedimento, a proposta de revisão vai ser submetida à discussão pública, por um prazo de 30 dias. Estará disponível para consulta e para recolha de eventuais contributos da população na Câmara Municipal de Esposende e nas sedes de Junta de Freguesia do concelho, podendo ainda ser consultado online, na página da internet do Município em www.cm-esposende.pt, permitindo, por esta via, que, por exemplo, a comunidade emigrante, se possa pronunciar.


Benjamim Pereira espera que a população participe de forma interessada e construtiva em todo o processo. Na sequência de igual procedimento, realizado no passado dia 15, com o executivo municipal, Assembleia Municipal e executivos das Juntas e Assembleias de Freguesia, a Câmara Municipal vai realizar uma sessão pública de esclarecimento sobre a revisão do PDM, no próximo dia 29 de setembro, pelas 21h00, no Auditório Municipal de Esposende


Guaxinim andava à solta no pinhal de Ofir

«A GNR, através do Posto Territorial de Esposende, recuperou um guaxinim que, há dias andava à solta, no pinhal de Ofir, na localidade de Fão.

Não foi fácil, mas o animal foi capturado, anteontem à noite, pelos militares a laço com a ajuda de técnicos do Instituto de Conservação da Natureza da Natureza e Florestas (ICNF).
O alerta para a GNR foi dado via telefone. De acordo com o que foi possível apurar, o guaxinim já tinha sido avistado há algum tempo no pinhal, perto do hotel, mas só anteontem alguém alertou a GNR. 

No terreno, os militares encontraram um animal bem tratado, pelo que se presume que guaxinim estivesse em cativeiro e tivesse escapado.
O animal ficou à guarda da GNR de Esposende, que não escapou a umas rosnadelas, e ontem foi encaminhado para o Parque Biológico de Gaia, onde deverá ficar em quarentena para ser depois entregue ao Zoo de Santo Inácio, também em Vila Nova de Gaia, que deverá ser o seu novo lar.
O guaxinim é originário do continente americano e é omnívoro, comendo desde pequenos pássaros e roedores até cereais e frutas.»

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Proposta de revisão do PDM "finalmente" em discussão


«...
Proposta de revisão do PDM “finalmente” em discussão

A proposta de revisão do Plano Director Municipal (PDM) do concelho Esposende está “finalmente” concluída e “em tempo recorde”. A novidade foi avançada, ontem, pelo presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, adiantando que o documento é apresentado hoje aos autarcas para ser submetido, na próxima quinta-feira, à reunião do executivo.

Benjamim Pereira, que falava à margem da inauguração do polidesportivo de Rio de Moinhos, na freguesia das Marinhas, mostrou-se “extremamente satisfeito” pelo facto da proposta ser colocada em discussão pública durante um mês, esperando que até ao final do ano a revisão do PDM “seja uma realidade”.


Este processo, continuou o presidente, “estava bloqueado há anos e a falta de revisão do PDM tem provocado situações dramáticas a muitas pessoas de várias freguesias do concelho e que nunca se conseguiram resolver por falta desta revisão”.
O autarca congratulou-se, portanto, por o executivo ter conseguido “em tempo recorde” a alteração ao documento.

Para hoje está marcada uma reunião com todos os autarcas do concelho para ser apresentado o documento. “Os autarcas são os representantes máximos da população que os elegeram, por isso, vão ser os primeiros a terem conhecimento das alterações efectuadas ao PDM”, justificou Benjamim Pereira. Entretanto, na próxima quinta-feira, o mesmo documento é submetido a votação do executivo camarário na habitual reunião. O presidente da autarquia espera, por isso, que após a discussão pública se consiga “definitivamente” avançar com as alterações “necessárias e fundamentais”.

Obras de recuperação da restinga adjudicadas

As obras de recuperação da restinga de Esposende já foram adjudicadas por 2,9 milhões de euros. A notícia foi também anunciada ontem pelo presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, durante a inauguração do polidesportivo de Rio de Moinhos, na freguesia das Marinhas.

Esta é uma obra há muitos anos reivindicada, pretendendo-se restaurar as dragagens de barco e consolidar o esporão do lado nascente”, informou ainda o presidente da autarquia, adiantando que a obra contará com um investimento de 2,9 milhões de euros. Esta obra vai melhorar a vida a toda a gente, sobretudo, aos pescadores que vão passar a ter condições de trabalho. Até agora, os pescadores trabalham correndo risco de vida e, por isso, esta empreitada vai fazer toda a diferença”, constatou Benjamim Pereira.

A obra será, portanto, “uma realidade no concelho” muito em breve. Esta empreitada de manutenção e reforço do cordão dunar da restinga, visa a reposição das condições naturais do ecossistema costeiro e que assegurem a sua estabilidade biofísica por via da renaturalização de áreas degradadas.
A empreitada é justificada pelas fragilidades erosivas detectadas no cordão que protege a foz do rio Cávado, em Esposende.»

Blogue das Pedrinhas & Cedovém com Correio do Minho

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

POLIS AFIRMA: PROTEÇÃO DE PESSOAS E BENS ENQUADRA-SE NA SEGUNDA FASE

 
«A Polis Litoral Norte abriu concurso público, por 450 mil euros, para a segunda fase da empreitada de reforço do sistema dunar e proteção da linha de costa da praia de Ofir, em Esposende, informou hoje aquela sociedade.
Em comunicado, a Polis acrescenta que aquela empreitada se tornou necessária na sequência das "fortes intempéries" ocorridas no último inverno, que causaram o desaparecimento generalizado de areias e a destruição de infraestruturas na praia de Ofir.
Nesta praia, já teve lugar uma primeira intervenção, com carácter mais urgente e transitório, que visou garantir as condições imediatas de segurança na zona, mantendo-a apta para uso durante a época balnear de 2014.

1 - Esta primeira intervenção consistiu na recarga de areias através da ripagem da zona entre marés e reposição do perfil natural da praia.

2 - A segunda fase enquadra-se numa estratégia de reforço dos sistemas dunares, arribas e outros elementos da linha de costa, com vista à preservação dos ecossistemas naturais e proteção de pessoas e bens.

Inclui medidas corretivas de erosão superficial (reperfilamento complementar de areia na praia) e ainda ações de reordenamento de áreas construídas em zonas de risco e consequente reposição das condições de ambiente natural (reposição da estrutura de defesa em blocos de enrocamento, reforço da escada de acesso à praia, reconstrução do muro de defesa costeira e repavimentação das áreas danificadas na praceta).
A empreitada, a iniciar previsivelmente no início de 2015, tem um prazo de execução de 120 dias.
A Polis Litoral Norte, constituída entre o Estado e os municípios de Caminha, Viana do Castelo e Esposende, tem como objeto a intervenção numa faixa costeira de 50 quilómetros na Região Norte, integrando ainda as zonas estuarinas dos rios Minho, Coura, Âncora, Lima, Neiva e Cávado, numa extensão de, aproximadamente, 30 quilómetros.
A área de intervenção totaliza cerca de cinco mil hectares e integra o Parque Natural do Litoral Norte.»
Este artigo foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico aplicado pela agência Lusa

Blogue das Pedrinhas & Cedovém com Jornal i

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

UE - Portugal - Esposende - Proteção do Património em Pedrinhas e Cedovém


Não podemos deixar de acreditar que as entidades responsáveis, como a Litoral Norte Polis Litoral  trabalhem pela defesa do litoral, pela proteção da orla costeira e façam os trabalhos que lhes compete, no intuito de salvaguardar as habitações.


Lugar das Pedrinhas e a sua relação com a Idade do Ferro


«Orla Maritima que a região ocidental da Península Ibérica, antes chamada Oestriminis ("Extreme West"), se chamava agora Ophiussa, e que o seu nome lhe vinha de uma grande invasão de serpentes que fizeram fugir os antigos habitantes da terra. Os seus actuais donos chamavam-se Sefes e Cempsos (Saefes e Cempsi), e que também fugiram para as colinas e para os campos de Ophiussa no século IV com a chegada dos Dragani ("People of the Dragons"), os vikings

terça-feira, 9 de setembro de 2014

A aplicação de algas na agricultura beneficia a saúde humana. A aplicação de algas na industria beneficia o planeta.



A aplicação de algas na agricultura beneficia a saúde humana
"De acordo com a pesquisadora Nair Yokoya, vários estudos mostram os benefícios dos extratos de algas marinhas em diferentes plantas, como hortaliças (por exemplo, pimentões), legumes (tomates), frutíferas (maçãs, pêssegos, laranjas e limões), flores e plantações de trigo, milho, feijão e cevada. A aplicação desses extratos na agricultura contribui para a formação de um sistema de raízes bem desenvolvido, para o aumento no conteúdo de clorofila e na resistência ao stresse - causado por fatores como seca, limitação de nutrientes e sal -, bem como para o retardamento da senescência, que é o processo natural de envelhecimento das células.
A utilização das algas como biofertilizantes ou bioestimulantes na produção agrícola também ajuda a diminuir danos à sáude humana e impatos ambientais causados pelo uso excessivo de fertilizantes, herbicidas e pesticidas."

Blogue das Pedrinhas E Cedovém com acontece


A aplicação de algas na industria beneficia o planeta
Hoje a capacidade das algas vão muito mais além do que se faz na agricultura. Hoje as mesmas algas são capazes de realizar materiais alternativos, tendo como a base biológica.
Um produto de base biológica é um produto comercial ou industrial (exceto alimentação humana ou animal) que é composto no todo, ou em parte por produtos biológicos. A principal vantagem dos produtos de base biológica decorre da sua capacidade de substituir alguns produtos de petróleo ou petroquímica. Estes materiais também são considerados renováveis e oferecem um menor risco para o meio ambiente e potencializam a auto sustentabilidade dos ecossistemas.


Por exemplo, Tipo "plásticos" biodegradáveis são materiais alternativos que podem satisfazer as exigências de setores de mercado a nível mundial, com capacidade de criarem uma nova linha de produtos compostos de material com base biológico, com fontes renováveis e inesgotáveis, que oferecem benefícios poderosos em responsabilidade ambiental, à capacidade de desempenho, à competitividade com custos sustentáveis e com eficiência de produção. A procura de uma solução auto sustentável para as necessidade de embalagens, produtos e artigos que tenham um ciclo de vida de um objeto terminado ou reciclado é o grande desafio que o Homem contemporâneo tem a nível mundial para poder concretizar um melhor nível de vida amanhã.


sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Parque Natural do Litoral Norte - ESPOSENDE


Parque Natural do Litoral Norte - Esposende no seu melhor na defesa da orla costeira de Portugal na UE

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Época balnear em Pedrinhas e Cedovém classificada com sucesso


Embora nenhuma destas praias tenha bandeira azul, a sua qualidade é inquestionada a nível terapêutico, como no combate  a problemas respiratórios como sinusite, alergias, fortalecimento na fisioterapia, controle e prevenção de doenças. A época balnear, na segunda quinzena de agosto registou uma excelente adesão pelos veraneantes, que contribuiu para elevar o turismo e a economia da região. No entanto a quantidade de sargaço que este ano surgiu na praia, criou um grau de conflitualidade entre os banhistas e aqueles que potencializam (e bem) a sua excelente fertilização biológica nos terrenos agrícolas ecológicos. A gestão entre as duas economias que partilham o mesmo espaço, originou certas situações perigosas.
Desde os tempos mais antigos, a extração do sargaço foi e é uma atividade que implica um desenvolvimento da economia local e que poderá hoje não só incidir na agricultura, na beleza e na saúde, mas também no turismo e até na gastronomia.


A autarquia deverá obter este ano a experiência suficiente, para que na próxima época balnear haja a aplicação de medidas suficientes para a proteção dos banhistas, através por exemplo da criação de corredores para a extração destas algas, como também até à implementação de sinalização de perigo ou de lugares destinados à recolha de imagens e/ou de venda de artigos turísticos no desenvolver da atividade agro marítima, não só para utentes, banhistas, mas também para turistas nacionais ou estrangeiros.
Bem, veremos o que se fará e esperemos que não seja como no caso de compromisso da colocação da sinalização de perigo das arribas, como se comprometeu a Litoral Norte Polis Litoral para esta época balnear, que tem o dever de "Requalificar o Território, Valorizar o Património e apostar na Sustentabilidade" e nada fez.

Quanto aos nadadores salvadores damos os parabéns à equipa I.S.N. que desempenhou as suas funções com um alto nível de profissionalismo, como também temos de agradecer à Câmara Municipal de Esposende, que desde mudou a presidência tornou possível esta mais valia.