INTRODUÇÃO

Pedrinhas e Cedovém são dois Lugares à beira mar, situados entre Ofir e a Apúlia, no concelho de Esposende - PORTUGAL.

Localizam-se num lugar calmo em cima do areal, onde pode almoçar e jantar com uma gastronomia típica local e poder usufruir de uma paisagem natural marítima Atlântica a uma temperatura do Litoral do Sul da Europa .
Onde construções CELTAS desabrocham de fundações milenares, que resulta uma relação de interligação com a paisagem. Os caminhos e os percursos de acesso ainda se encontram em areia e criam uma composição que conjuga de forma perfeita entre a topografia e época das construções, o que dá um cunho único ao Lugar. Se estivermos acompanhados com alguém especial, imediatamente nos apaixonamos e nunca mais conseguimos cortar o "cordão umbilical" com este LUGAR cheio de magia e de uma beleza natural única.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Vilamoura agora é dos americanos. Foi vendida a preço de saldo

Se o negócio fosse feito há cinco anos, Vilamoura teria sido vendida pelo triplo do valor. Mesmo assim, trata-se do negócio mais valioso em Portugal nos últimos dez anos


A gestora de fundos norte-americana Lone Star comprou a Lusort, empresa espanhola que detinha os ativos imobiliários de Vilamoura e ainda a concessão da marina do resort algarvio, por apenas 200 milhões de euros. Embora Vilamoura tenha sido vendida a preço de saldo, negócio selado a 26 de março deste ano foi o mais valioso em Portugal nos últimos dez anos.

Segundo o Diário de Notícias (DN), o montante que os norte-americanos pagaram ao Catalunya Banc, detentor da Lusort, representa um terço do valor que teria sido pago se o negócio fosse feito há cinco anos atrás, altura em que a crise económica ainda não tinha ‘colocado os pés’ em Portugal. Além disso, Vilamoura foi vendida a menos 360 milhões do que os espanhóis já tinham pago ao antigo proprietário do resort de luxo do Algarve, o empresário André Jordan, em 2004.
Atualmente, lê-se na publicação, só a marina de Vilamoura continua a dar dinheiro e terá sido esse o motivo do negócio final ter sido fechado por um preço tão baixo. Contudo, o valor investido pelos norte-americanos é visto como reduzido tendo em conta o grande potencial de construção existente naquela zona algarvia, cerca de 700 mil metros quadrados disponíveis para novos empreendimentos residenciais, comerciais e turísticos.
Blogue Pedrinhas & Cedovém com Noticias ao Minuto

André Jordan diz que investimento americano em Vilamoura traz confiança ao mercado


O empresário André Jordan, que desenvolveu o projecto turístico de expansão de Vilamoura, disse hoje à Lusa que a compra daqueles activos por parte de um fundo norte-americano vai trazer um importante sinal de confiança ao mercado.
O negócio entre o Catalunya Bank (donos da Lusotur/Vilamoura) ao fundo norte-americano Lone Star já tinha sido noticiado na quinta-feira passada, mas esta terça-feira o Diário de Notícias avança o valor, afirmando que a venda foi feita por 200 milhões de euros.
A Catalunya estava no capital da Lusort desde 2006, embora no início o tenha feito em parceria com o grupo imobiliário andaluz Prasa, a quem o empresário André Jordan vendeu a antiga Lusotur Imobiliária, por 360 milhões de euros. Este negócio, de 2004, também foi disputado pela Amorim Imobiliária e um consórcio liderado pelo grupo Espírito Santo (que incluía o Deutsche Bank e a espanhola Lar).
Para a CBRE, que assessorou a Catalunya (detida pelo BBVA) na operação de venda, a transacção agora efectuada foi a “maior operação no sector do turismo em Portugal dos últimos dez anos”.
Esta terça-feira, em declarações à agência Lusa, André Jordan, o empresário que promoveu a expansão de Vilamoura lembrou que, quando vendeu o empreendimento, fez o maior negócio da história do imobiliário em Portugal, num total de 500 milhões de euros, mas que hoje as condições são diferentes.

"Na altura, vendi a Lusotur por 380 milhões de euros e, depois, vendi a Lusotur Golfes por 120 milhões de euros", afirmou, acrescentando que os activos agora vendidos já não são os mesmos, além de que houve "ajustamentos no mercado", devido à crise. "A entrada da Lone Star é o maior investimento desde a crise", referiu. Para André Jordan, o negócio agora formalizado representa "um voto de confiança" que pode ser muito importante para novos investimentos estrangeiros, mas também para o mercado a retalho. "Agora vai ser preciso um longo trabalho de relançamento de Vilamoura", estimou. O empresário contou que já teve oportunidade de conversar com os investidores e que estes vão "investir muito" em marketing e promoção: "Ninguém investe 200 milhões para perder".
André Jordan classificou o negócio como positivo, referindo que a venda não foi concretizada antes porque não havia comprador. "É um sinal muito positivo. Penso que o investimento representa um sinal de confiança de um dos grandes fundos americanos", sublinhou, acrescentando que não se trata da compra de vistos Gold, mas de terrenos para investimento futuro. "É um factor estimulante para o mercado, gera confiança nos investidores e nos próprios compradores. Isso aconteceu com os nossos investimentos no mercado", lembrou.
Blogue Pedrinhas & Cedovem com Público


Este projecto de urbanização é descrito pelo site da Lusort como um projecto "único e pioneiro" em Portugal. A Cidade Lacustre será composta por três lagos artificiais que serão construídos ao lado da marina, sendo as casas apenas acessíveis por barco. Para além da zona residencial, serão construídos também passeios pedonais, hotéis, uma zona comercial e uma de lazer. Segundo a Lusort, o projecto desenvolvido pela Broadway Malyan "é uma cidade que se adianta ao futuro e em que a água é a protagonista"
Blogue Pedrinhas & Cedovem com Jornal i
Enviar um comentário