INTRODUÇÃO

Pedrinhas e Cedovém são dois Lugares à beira mar, situados entre Ofir e a Apúlia, no concelho de Esposende - PORTUGAL.

Localizam-se num lugar calmo em cima do areal, onde pode almoçar e jantar com uma gastronomia típica local e poder usufruir de uma paisagem natural marítima Atlântica a uma temperatura do Litoral do Sul da Europa .
Onde construções CELTAS desabrocham de fundações milenares, que resulta uma relação de interligação com a paisagem. Os caminhos e os percursos de acesso ainda se encontram em areia e criam uma composição que conjuga de forma perfeita entre a topografia e época das construções, o que dá um cunho único ao Lugar. Se estivermos acompanhados com alguém especial, imediatamente nos apaixonamos e nunca mais conseguimos cortar o "cordão umbilical" com este LUGAR cheio de magia e de uma beleza natural única.

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Esposende: anunciada obra de proteção da praia da Bonança, em Ofir




O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes anunciou hoje, na Estação Litoral da Aguda, Vila Nova de Gaia, um investimento de 32 milhões de euros, a aplicar em trinta intervenções, cumprindo o Plano de Ação para o Litoral Norte que decorrerá até 2019 e inclui uma intervenção de defesa na praia da Bonança, em Ofir.

Este plano prevê a reabilitação de esporões, a reconstituição dunar, demolições de construções que estão em Domínio Público Marítimo, construção de Ecovias, o ordenamento de áreas de estacionamento e a recuperação de passadiços.

'Acabamos de garantir investimentos muito importantes para os próximos três anos, para o litoral do país. Prosseguimos a forte dinâmica que tem sido implementada. É importante que seja definida uma estratégia para os próximos tempos, em que os municípios terão um papel mais determinante na resolução dos problemas do litoral', disse Benjamim Pereira.

De resto, os investimentos, previstos desde a elaboração da Estratégia Nacional para a Gestão Integrada da Orla Costeira, pretendem travar a erosão que tem afetado o litoral norte, nomeadamente em vários pontos dos concelhos de Caminha, Viana do Castelo, Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Matosinhos, Porto, Gaia e Espinho, que estão sob alçada do mesmo Plano de Ordenamento da Orla Costeira.

O ministro do Ambiente manifestou o propósito de “descentralizar, para melhor atuar localmente”, salientando a importância do avanço na recolha de informação que permite “melhor definir as estratégias de intervenção, em defesa do litoral”.

Por seu turno, o responsável pelo programa Polis Litoral Norte, Pimenta Machado apontou a intervenção em curso no molhe norte de Esposende, apresentada como exemplo de programação e a obra na frente de mar de S. Bartolomeu como exemplo de ação em total pacificação social.

Em termos gerais, o plano contempla o planeamento, a monitorização e a intervenção, ao longo dos 140 quilómetros de costa que abrangem nove municípios, de Espinho a Caminha.

*** Nota do Serviço de Comunicação e Imagem do 
Município de Esposende
 ***
  

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Esqueleto com 2.000 anos encontrado em navio naufragado no Mediterrâneo


Arqueólogos descobriram um esqueleto humano com 2.000 anos nos destroços do mesmo navio naufragado no Mediterrâneo onde haviam encontrado a mais sofisticada peça de tecnologia a sobreviver à Antiguidade, a Máquina de Anticítera.
De acordo com a revista Nature, se se conseguir recuperar ADN dos restos humanos encontrados a 31 de agosto ao largo da costa da ilha grega de Anticítera, este poderá revelar pistas sobre a identidade do esqueleto.
A ossatura surpreendentemente bem conservada – que inclui parte de um crânio, dois ossos do braço, várias costelas e dois fémures – poderá também desvendar segredos sobre o famoso navio mercante do século I a.C. que provavelmente naufragou durante uma tempestade.
O Governo grego não deu ainda autorização para a realização de testes de ADN.
O esqueleto é um achado raro, porque os cadáveres de vítimas de naufrágios são normalmente levados pelas correntes ou comidos por peixes, e raramente sobrevivem décadas, muito menos séculos.
“Não temos conhecimento de nada do género”, disse Brendan Foley, um arqueólogo marinho da Woods Hole Oceanographic Institution, de Massachusetts, e codiretor da exploração.
À primeira vista, o esqueleto parece pertencer a um rapaz, segundo Hannes Schroeder, um especialista em análises de ADN antigo do Museu de História Natural da Dinamarca.
Não parecem ossos com 2.000 anos de idade“, disse à Nature.
Schroeder ficou especialmente satisfeito com a recuperação do osso petroso – localizado atrás da orelha – que tende a preservar melhor o ADN que outras partes do esqueleto e que os dentes.
“Se houver algum ADN, então, pelo que sabemos, estará aqui”, indicou.
Se se conseguir recuperá-lo, o ADN poderá revelar a cor do cabelo e dos olhos, bem como a raça e a origem geográfica, acrescentou.


Os destroços do navio, submersos a quase 50 metros de profundidade, foram primeiro descobertos por pescadores de esponjas naturais em 1900, e acredita-se que foram os primeiros alguma vez investigados por arqueólogos.

A maior descoberta foi a chamado Máquina de Anticítera, um mecanismo do século II a.C. que por vezes é designado como o computador mais antigo do mundo.
O dispositivo altamente complexo é composto por cerca de 40 peças de bronze e era usado pelos gregos antigos para acompanhar os ciclos do sistema solar.
Foram precisos mais 1.500 anos para que um relógio astrológico de semelhante sofisticação fosse fabricado na Europa.
O ADN mais antigo alguma vez recuperado de restos mortais humanos modernos tinha cerca de 45.000 anos.

Blogue Pedrinhas & Cedovem com ZAP aeiou

domingo, 18 de setembro de 2016

Novos equipamentos de apoio na Praia Norte lançados a concurso por 900 mil euros


A maioria socialista na Câmara de Viana do Castelo e a vereadora da CDU aprovaram em 15 de setembro, em reunião ordinária da autarquia, a abertura do concurso público para a construção de dois equipamentos de apoio, num investimento superior a 900 mil euros, previstos no projeto de requalificação da Praia Norte.
O concurso público , chumbado pelo PSD, prevê a construção de dois equipamentos “com instalações sanitárias, balneárias, espaço para o nadador-salvador e também bares de apoio”.
Em declarações aos jornalistas no final da sessão camarária, o presidente da Câmara, José Maria Costa afirmou que “os dois novos equipamentos deverão estar a funcionar, em pleno, já no próximo verão”, sendo que a sua construção será iniciada quando terminarem as obras de combate à erosão costeira” prevista para aquela praia.
Em causa está a obra de requalificação da Praia Norte, a realizar ao abrigo da sociedade Polis Litoral Norte, orçadas em 2,6 milhões de euros e cujo arranque já sofreu vários adiamentos estando agora previsto para “em meados de outubro”, aguardando “o visto final do Tribunal de Contas”.
O valor base do concurso, sem IVA, é de cerca de 900 mil euros, para os dois equipamentos. São equipamentos com áreas substancialmente maiores do que os equipamentos que lá estão. (…) Vamos ter áreas de apoio de balneários, sanitários, cada um dos equipamentos vai ter um espaço para nadador-salvador. Vamos ter áreas cobertas de bar superiores àquelas que lá estão. Vão ser equipamentos com uma outra ambição, pensando já na futura atratividade que a praia vai ter”, frisou o autarca socialista.
A intervenção, alvo de contestação por um movimento cívico local critica o que considera ser “o fim do estacionamento junto ao mar”, que existe naquela zona, vai abranger uma área equivalente a cinco campos de futebol.
As obras contemplam duas fases, que vão decorrer em simultâneo, uma para defesa da zona costeira e outra de requalificação daquela zona balnear.
A bancada do PSD, pela voz do vereador Eduardo Teixeira justificou o voto contra a construção dos dois equipamentos dizendo que os custos do concurso hoje aprovado “vão ser suportados pela autarquia e não pelo programa Polis Litoral Norte”.
É uma fatura dos desentendimentos públicos de Defensor Moura ex-autarca socialista de Viana do Castelo e principal opositor da intervenção) e o atual presidente, José Maria Costa sobre a Praia Norte”.
Eduardo Teixeira disse “não estar em causa o investimento de recuperação da Praia Norte” mas os custos da construção de equipamentos de apoio “que fazem disparar brutalmente os custos da obra, pagos exclusivamente pela Câmara. Não havia necessidade de pegar nos espaços, demoli-los e construir de novo”, acusou.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

blogue Pedrinhas & Cedovem atingem as 44.000 visitas


P A R A B É N S
a todos os colaboradores e leitores
44.000 visitas
Blogue
Pedrinhas e Cedovém
Apúlia - Esposende
PORTUGAL
EUROPE

Obrigado

Fim da época balnear e APA e POLIS LITORAL NORTE nada fizeram...

Chegamos ao fim da época balnear e a Agencia Portuguesa do Ambiente e a Polis Litoral Norte nada fizeram para proteger Lugar de Cedovém e Pedrinhas


Existem casas e construções que puseram em risco os veraneantes e continuam a pôr em risco os seus utilizadores, moradores, inclinos, proprietários e transeuntes. 

CENÁRIO EM 
PEDRINHAS E CEDOVÉM

 Muro em derrocada e habitação a desmoronar-se e a demolir-se

 Moradia que mete medo em estar e pernoitar, pois existe o pressentimento de derrocada eminente (ouve-se e vê-se o mar a bater na duna em maré-cheia)

Muro em derrocada, em via de cair para cima de veraneantes


A Polis Litoral Norte como a APA, deixam ao abandono e à erosão a zona entre Apúlia e Ofir, permitindo a perda de praia e de terreno continental Português. A insistência destas Instituições do Estado em proteger determinados lugares e a determinarem a liquidação de outros por inoperância é uma prática que vem desde 1986, com a construção dos esporões em Esposende.


CENÁRIO DIFERENTE EM 
OFIR

PROTEÇÃO FEITA PELA POLIS LITORAL NORTE

TRATAMENTO DIFERENTE NO MESMO CONCELHO DE ESPOSENDE


Moradias de Ofir protegidas por mangas Geotube colocadas pela Polis


Manga Geotube que retem a areia, nivela e protege a habitação



Presentemente a Polis Litoral Norte escamoteia-se do problema apresentando como  a Candidatura 01/09/2016 “Infraestruturas para valorização e visitação de áreas classificadas no concelho de Esposende” ao Programa Operacional Regional do Norte.

Financiamento:
Programa Operacional Regional do Norte
PATRIMÓNIO NATURAL
 Qualidade ambiental
Objetivo Temático: Preservar e proteger o ambiente e promover a eficiência energética
Valor global:
351 165,00 €

 Projetos que em nada têm em defender a costa Portuguesa.