INTRODUÇÃO

Pedrinhas e Cedovém são dois Lugares à beira mar, situados entre Ofir e a Apúlia, no concelho de Esposende - PORTUGAL.

Localizam-se num lugar calmo em cima do areal, onde pode almoçar e jantar com uma gastronomia típica local e poder usufruir de uma paisagem natural marítima Atlântica a uma temperatura do Litoral do Sul da Europa .
Onde construções CELTAS desabrocham de fundações milenares, que resulta uma relação de interligação com a paisagem. Os caminhos e os percursos de acesso ainda se encontram em areia e criam uma composição que conjuga de forma perfeita entre a topografia e época das construções, o que dá um cunho único ao Lugar. Se estivermos acompanhados com alguém especial, imediatamente nos apaixonamos e nunca mais conseguimos cortar o "cordão umbilical" com este LUGAR cheio de magia e de uma beleza natural única.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Dies natalis Solis Invicti - Dia de Natal - Aniversário do Sol Invicto

Para algumas pessoas o Natal  é o "momento mais maravilhoso do ano." O Sol deve ter sido o primeiro a quem o Homem prestou orações. A celebração do solstício de inverno deve ser a mais antiga celebração do Homem Europeu. Curiosamente, não foi com o mesmo significado que existe hoje, da celebração do Natal Cristão. Há muitos séculos atrás o dia 25 de dezembro já era o maior festival do ano em honra do Deus Sol Invictus.



É muito provável que os romanos, com a assimilação de muitas outras culturas, tenham tido uma reverência para com o sol, que se foi alterando dos primórdios dos tempos, o culto "oficial" do Deus-sol, Sol, não existe só digno e de uma só verdade. Sol teve templos junto com a deusa da lua (Luna) e foi origem de vários cultos e rituais.



O culto do Deus Dagda, Lug, Lugus ou Lux também sobreviveu através através de séculos, os rituais celtas resistiram camuflados pelo processo de romanização no Minho, na Gália, no  período no qual os Galos e pós-celtas não deixaram de atribuírem o culto a deuses mágicos, como à realização de terapia, criação de musicas, implementação de rituais, feitos de alquimia, cultos, maneiras de estar e hábitos. O Cristianismo veio numa ira de escorraçar os infiéis, incorporando  personagens como São Lucas ou São Lourenço que tomam como base a "Luz" e a suas vidas santificadas, com maneiras de estar solares e espirituais limpas, ao mais alto astral do universo que se conhecia na época do calendário Gregoriano como por exemplo: Domingo o primeiro dia da Semana  [Dies Domenica aut Solis dies (Dia do Senhor ou Dia do Sol)]
Lug, considerado próprio Deus do Sol que armado cavaleiro com a sua lança poderosa, consegue aniquilar os maus e os demónios, como nos contam as antigas sagas celtas. Com a romanização e a cristalização a lança mágica de Lug seria associada à do Arcanjo São Miguel, que pela sua primazia Celeste e Luminosa estaria a proteger o Trono de Deus. Foi assim que os entendidos conseguiram identificar à pessoa solar e primordial do panteão Céltico que era o Deus Lug que tinha sido transformado no culto cristão sob a forma de Miguel Arcanjo, pois ambos possuem o poder divino junto dos homens mortais.


Miguel Arcanjo ou Mikael vinha a ser Metatron "a medida (meta, metra) perpendicular da Terra ao Sol (aton)", objectivo a ser pretendido e alcançado, pelo que é o intermediário entre o próprio Eterno e a Humanidade. 

Se então Miguel Arcanjo é a divindade que liga a terra e o Céu, ele ligava então os primitivos cultos ctónicos dos celtas e os primeiros cristãos eremitas daqui, a qual é consignada tradicionalmente ligada às águas, à mulher, à Mãe Divina também associada ao próprio Espírito Santo. Do outro lado  o próprio Miguel Arcanjo representa a masculinidade da divindade a Terra, o Homem, o Pai Eterno.

A Terra e Água são os elementos predominantes que dão o Dom desta "Maravilha" que reúne e mantém separados estes dois campos e transporta-os para o sobre-natural, com a ponta da lança que mata o lado negro, a Alma Má e/ou o pecador, a cobra.
Durante séculos, na idade média Miguel Arcanjo era o protetor, pesava com a sua balança as almas e fazia justiça com a sua espada, tendo o seu principal ponto de referencia no Antigo Testamento, principalmente nas passagens onde se trata da instituição de um centro religioso e espiritual: a construção do tabernáculo, a edificação dos Templos de Salomão (Ofir) e de Zorobabel, teve destino Compostela "Campus Stellae - campo de estrelas" onde ficaria escondido o corpo do Apóstolo de São Tiago, para mais tarde ser o centro de expansão cristã.
Esta terra, apeadeiro marítimo mais tarde constituída Couto pelo Convento de Tibães, que se manifestava riquíssima quanto à sua vegetação aquática que viria a ser usada e reconhecida como um excelente adubo natural, na agricultura, proporcionou excelentes produtos horticultulas. A manifestação Divina, da "Presença Real de Deus" Shekinah, sempre representada com "Luz" tornando o lugar da sua implementação verdadeiro Cósmico na terra "cabeça" original da Fé que se vai expandir para outras partes. Foi exactamente isso que aconteceu aqui no Lugar de Pedrinhas, Cedovém, Apúlia (concelho de Esposende). A influencia da espiritualidade atribuída pela Igreja, para não só incentivar os homens a ir ao mar como dar animo à passagem dos peregrinos para Santiago de Compostela, introduziu aqui Shekinah que em termo original árabe barakah e em hebraico, berakoth e que o cristianismo  perpetuou a sua Influencia Espiritual , com o simples nome de Bênção de Deus.


Este lugar, apeadeiro de rotas marítimas de celtas, vikings, normandos, legiões romanas, mesmo durante a Idade Média de peregrinos a Santiago de Compostela que se providenciavam aqui, e passavam com cajado, carregando uma cabaça ou alforge de couro com água ou vinho, cobrindo-se com um corta vento ou capote ou capa e seguiam o seu caminho. Marcavam uma paragem curta, no intuito de alcançar o Paraíso de Santiago ou na volta a casa já com a bênção do Santo e uma insígnia comprovativa da sua peregrinação, a concha tipo Vieira, que normalmente vinha de forma bem visível, presa à roupa ou em algum utensílio, para que pudesse abrir caminho e sinalizar que eram pessoas de bem e meros peregrinos.



ARQ.ACM


São histórias destes Lugares.
BOAS FESTAS
E
BOM ANO NOVO

Enviar um comentário