INTRODUÇÃO

Pedrinhas e Cedovém são dois Lugares à beira mar, situados entre Ofir e a Apúlia, no concelho de Esposende - PORTUGAL.

Localizam-se num lugar calmo em cima do areal, onde pode almoçar e jantar com uma gastronomia típica local e poder usufruir de uma paisagem natural marítima Atlântica a uma temperatura do Litoral do Sul da Europa .
Onde construções CELTAS desabrocham de fundações milenares, que resulta uma relação de interligação com a paisagem. Os caminhos e os percursos de acesso ainda se encontram em areia e criam uma composição que conjuga de forma perfeita entre a topografia e época das construções, o que dá um cunho único ao Lugar. Se estivermos acompanhados com alguém especial, imediatamente nos apaixonamos e nunca mais conseguimos cortar o "cordão umbilical" com este LUGAR cheio de magia e de uma beleza natural única.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Ofir Final; Pedrinhas e Cedovém Sempre!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

TO BE OR NOT TO BE THAT IS THE QUESTION

SER OU NÃO SER EIS A QUESTÃO
IDENTITY
IDENTIDADE

N.O.S. - Nova Ordem Solidária

"NÓS SOMOS"

O SER, O SER HUMANO
Somos também: O TER e o QUERER
Somos o Poder, o Sentir, o Estar, o Assumir.
Somos o Compromisso.
Somos o PENSAMENTO, o Idioma, a Consciência, o Nome, o Conceito.

Somos o PRINCÍPIO e a LIBERDADE.

Somos a e o Culto, o Ideal e a Solidariedade,
Somos a Mística e Somos a Raça (as Caracteristicas)

Somos a EXPRESSÃO, a Comunicação

Somos também a União, a Comunhão e a Convergência
Somos o Princípio e o Fim, as Origens e o Destino,
Somos também, 800 anos de Sedimentação.
Somos a Sociedade Civil, o DIREITO e o DEVER,
Somos a Verdade e a Justiça, o Estatuto, a Lei, a Responsabilidade,
Somos a Maioridade, a Lógica e o Bom Senso, o Equilíbrio,
Somos os Usos e os Costumes, a Cultura e a Tradição.
Somos o Aperfeiçoamento Permanente, a Evolução, o Progresso,
Somos a Potencialidade.

Somos a DINÂMICA, o Objectivo a atingir, o Comportamento.
Somos o Respeito, (por nós próprios e pelos outros).
Somos finalmente o Interesse Comum, a Aliança de Todos,
Somos a Definição e a Legitimidade.
Somos a FORÇA DO ARGUMENTO e nunca o ARGUMENTO DA FORÇA.
Somos o Cidadão, a Família, a Tribo, o Povo, a HUMANIDADE.
Somos o Denominador comum.
Somos Alguém contra Ninguém, somos a Paz, (mas em Segurança).
Somos a Consagração, somos a Identidade.
Somos também, a pesar de tudo, a Relatividade.

Por tudo isto e não só...

Somos o Povo Português, somos os Povos da Expressão Portuguesa,
Somos a Europa Unida.
Somos as Nações Unidas em todo o mundo,

SOMOS A PARTE E SOMOS O TODO.

Somos o nosso PASSADO, o nosso PRESENTE e o nosso FUTURO.
Porto, 8 de Novembro de 1962
António Gil Peixoto de Sousa

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

MAMAOT vai ter de gastar menos 16 por cento em 2012


AmbienteOnline
"Entre as medidas políticas que se anunciam neste Orçamento de Estado destaque para os Programas Polis Litoral, que serão objecto de revisão, tendo em vista «priorizar as acções que acautelam a vida e segurança de pessoas e bens, minorando os riscos e as necessidades de intervenção na orla costeira»."

terça-feira, 18 de outubro de 2011

O Lugar das Pedrinhas e Cedobém - Esposende é tema de estudo nas escolas

O mundo não pára e o que fazemos hoje será amanhã analisado, comentado, criticado e julgado. O Lugar das Pedrinhas atualmente já é tema de estudo nas escolas, por várias razões:
  • Pela tipologia das suas construções antigas;
  • Pelas suas atividades agro-marítimas;
  • Pelo campo de esporões que vão desde Ofir a Apúlia e que modificou a morfologia do segmento costeiro. Vejamos este teste de avaliação de Biologia - Geologia.


segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Projeto Windfloat

Hoje, já se vê da costa marítima a primeira torre eólica do projeto Windfloat. Não estávamos conscientes que o projeto estivesse tão próximo da costa, sabíamos que era ao lado da primeira central maremotriz do Mundo (projeto da empresa escocesa Ocean Power Delivery do engenheiro David Lindley, que foi construída com apoio da Efacec que forneceu os respetivos transformadores e geradores de eletricidade e que a empresa escocesa tinha arrancado com o seu sistema em Portugal, só porque a EDP e o Estado compravam a eletricidade marítima a 23,5 cêntimos por kWh.
Hoje, esse projeto da central está parado e a EDP iniciou este novo projeto windfloat, no qual estamos cientes que a torre erguida e as futuras torres são dissonantes, elementos profundamente negativos na paisagem da costa litoral Atlântica.


Neste caso, então propomos à EDP o seguinte desafio:
Se o projeto é na água, então não se poderá inverter as torres e realizar um Hidrofloat.

 

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Programa Polis do Litoral Norte pode ser ajustado...

RTP
Após uma reunião com a ministra do Ambiente, em Lisboa
José Maria Costa, afirmou:
"Poderão existir ajustamentos, na parte das intervenções do Estado, que estão a ser avaliados. Na parte dos municípios vai depender da renegociação que está a ser feita com Bruxelas dos fundos do QREN [Quadro de Referência Estratégico Nacional] e da capacidade financeira para acompanharem essas intervenções"

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

5 de Outubro de 2011


É precisamente este ano 2011, que Portugal faz capicua 868 anos de existência com o Tratado de Zamora.
O Tratado de Zamora foi o resultado da conferência de paz entre Afonso Henriques e o seu primo, Rei Afonso VII de Castela e Leão, a 5 de Outubro de 1143. Tendo-se registado a data da nascimento de Portugal e chamado para si e para os seus descendentes Homens livres e independentes, em que nada tinham a dever a ninguém. Pois com a vitória da batalha em 24 de Junho de 1128, tendo derrotado o conde de Trava, valido de sua mãe, na Batalha de S. Mamede, assumiu a liderança da Terra Portucalense. Mais tarde em 1139 em Ourique travou uma vitória estrondosa que até hoje está representado nos 5 pontos brancos da bandeira de Portugal.
Desta forma D. Afonso Henriques consolidou a sua posição para formar um novo País, sendo agora considerado pelo seu primo como igual e visto pelo Papa Inocêncio II como um dos Homens fortes na Europa.
Assim dia 5 de Outubro de 1143 D. Afonso Henriques tornou-se no Homem n.º1 de Portugal, ou seja, D. Afonso I de Portugal.